Réver pede espírito do mata-mata contra o Botafogo para o Atlético-MG se recuperar no Brasileirão

Após dois jogos pela Sul-Americana, com o Atlético-MG levando a melhor em ambos e eliminando o Botafogo do torneio continental, mineiros e cariocas voltam a se enfrentar neste domingo, às 16h (de Brasília), no Estádio Nilton Santos. Os dois times já se conhecem bem, sabendo qual a forma de jogar.

Contra um adversário já conhecido, Réver quer que o Atlético entre em campo com o espírito do mata-mata, para poder vencer mais uma vez o Botafogo e se recuperar no Brasileirão. O Galo vem de três derrotas seguidas na competição e perdeu seu lugar no G-6.

– Acho que o conjunto da obra. A forma com a qual encaramos a equipe do Botafogo. Aquele espírito do mata-mata tem que estar reinando sempre. Acredito que depois dessa eliminação, tem um sentimento diferente, principalmente do lado do Botafogo. Que nós tenhamos a inteligência que tivemos naquelas duas partidas para colocar em prática neste domingo diante da mesma equipe do Botafogo. Uma equipe muito boa e qualificada, mas que pode vir um pouco mordida por conta da eliminação.

Atlético-MG enfrenta o Botafogo pela terceira vez neste ano — Foto: André DurãoAtlético-MG enfrenta o Botafogo pela terceira vez neste ano — Foto: André Durão

Atlético-MG enfrenta o Botafogo pela terceira vez neste ano — Foto: André Durão

A sequência ruim no Campeonato Brasileiro incomoda Réver, que confia que o time pode sim brigar pelo título e, para isso, precisa somar pontos de qualquer maneira no jogo contra o Botafogo.

– Estamos vindo de três jogos sem vitória, sem somar pontos. Isso é algo que incomoda bastante, ainda mais para quem tem pretensões e objetivos dentro da competição. Vamos ter um jogo fora de casa, onde temos que somar pontos. Mesmo jogando fora de casa, vamos procurar nos impor dentro do jogo, assim como temos feito, independente de jogar dentro ou fora de casa.

Réver vem sendo um dos destaques do Galo na temporada. Se não chegou com muita confiança da torcida no início da temporada, quando retornou ao Atlético após quatro anos, hoje é a segurança do sistema defensivo. O capitão atleticano reconhece que vem bem, mas ressalta também o trabalho de todos os companheiros.

Eu fico feliz, não só pelas minhas atuações, mas sim do grupo todo. O grupo está focado. Cada jogo tem um jogador se destacando e isso mostra a força do elenco e que o grupo tem.

– Eu fico muito feliz com esse rendimento. Nem nos melhores cenários eu imaginava voltar e contribuir dessa maneira, mas tenho me cobrado bastante. Não adianta eu sair todo jogo me destacando. Quero que outros jogadores se destaquem também, para que tenhamos êxito. A partir do momento que o setor defensivo vem se destacando muito, alguma coisa pode estar errado. Acredito e tenho confiança em todos os companheiros. Não é só o Réver. O grupo vem crescendo e espero que possamos colher frutos bons até dezembro – completou o zagueiro.