Músico nigeriano faz show no DF em homenagem a Fela Kuti, precursor do afrobeat

Por G1 DF

O músico nigeriano Fela Kuti posa com seu saxofone em 1988 em Lagos, na Nigéria — Foto: AFP
O músico nigeriano Fela Kuti posa com seu saxofone em 1988 em Lagos, na Nigéria — Foto: AFP

O músico nigeriano Fela Kuti – considerado o precursor do afrobeat – será homenageado em um show em Brasília nesta quarta-feira (6). O tributo será conduzido pelo multi-instrumentista Ìdowú Akínrúlí (Akin), conterrâneo do artista africano, e por uma banda do Distrito Federal.

O evento começa às 21h no Outro Calaf, no Setor Comercial Sul. Os ingressos custam a partir de R$ 15 e, na bilheteria do evento, podem chegar a R$ 30 (veja detalhes abaixo).

O multi-instrumentista Ìdowú Akínrúlí faz tributo a Fela Kuti — Foto: Vinícius Angeli/Divulgação

O multi-instrumentista Ìdowú Akínrúlí faz tributo a Fela Kuti — Foto: Vinícius Angeli/Divulgação

No repertório, “Water no get enemy”, “Zombie” e “Fogo fogo”. As músicas de Fela Kuti conquistaram fãs pelo mundo ao misturar yorubá, jazz e funk, fundido com percussão africana.

O músico Ìdòwú , que também dançarino e educador, conheceu e experimento o afrobeat com a família de Fela Kuti, ainda na Nigéria. No Rio Grande do Sul, o artista promove desde 2016 o “Fela Day” e o “Felabration” – eventos mundiais em comemoração ao aniversário do músico e à difusão da obra dele.

Durante o show no Outro Calaf, também haverá discotecagem com a DJ Pati Egito. Agitadora cultural, como se define, ela prepara um line-up com ritmos nacionais e latinos – do forró, coco e carimbó a ritmos jamaicanos e caribenhos.

Fela Kuti

Documentário conta história de Fela Kuti — Foto: Divulgação

Documentário conta história de Fela Kuti — Foto: Divulgação

Batizado de Fela Anikulapo Ransome Kuti, o músico nigeriano nasceu em 193, na cidade de Abeokuta, na Nigéria. Filho de pastor e de mãe feminista, tornou-se o artista nigeriano mais influente da África negra.

Durante sua trajetória, o músico se destacou como ativista dos direitos humanos e virou até musical na Broadway. Ele morreu em 1997 em consequência da Aids – Fela Kuti era portador do vírus HIV.

De família de classe média, Fela se mudou para Londres em 1958 para estudar medicina. Na capital inglesa, acabou se dedicando aos estudos da música, quando criou sua primeira banda “Koola Lobitos”.

Fela Kuti voltou para Nigéria em 1963 e, seis anos depois, sob a influência do movimento negro africano Black Power, decidiu fazer músicas autorais que abordavam suas visões políticas.