De incógnita a ‘favoritaço’: Jesus transforma Flamengo em 13 jogos

Ainda não se completaram nem dois meses desde que o Flamengo anunciou que o português Jorge Jesus seria o novo técnico da equipe, substituindo Abel Braga, que havia deixado o comando da equipe. Porém, menos de 60 dias depois e com apenas 13 jogos no período, vemos agora um rubro-negro na liderança do Brasileirão e garantido na semifinal da Libertadores da América.

Apesar de um elenco estrelado, com jogadores consagrados, como Gabigol, Bruno Henrique e Arrascaeta, o time do Flamengo no primeiro semestre não dava mostras de que poderia chegar longe na temporada. Apesar do título carioca, conquistado sobre rivais bastante enfraquecidos, a equipe até então comandada por Abel Braga fazia uma campanha instável na primeira fase da Libertadores e patinava no início do torneio nacional.

O início de Jesus também não foi dos melhores. Logo após a pausa para a Copa América, o Flamengo acabou eliminado da Copa do Brasil em uma disputa com o Athletico-PR que só foi decidida nos pênaltis. Na sequência, a equipe mais uma vez disputou uma vaga através das penalidades, mas dessa vez se deu bem, despachando o Emelec, do Equador, para se garantir nas quartas da Libertadores depois de perder o primeiro jogo por 2 a 0.

E esse jogo pode ter sido o ponto de virada do clube na temporada, talvez pela mentalidade explicada por Jorge Jesus nesta quarta-feira, após a classificação sobre o Inter: “Durante os 90 minutos, fomos a melhor equipe lá, sem dúvida nenhuma. Primeira parte fantástica, acabamos por não concretizar lances na cara do goleiro, mas, para além das oportunidades de gol, foi uma equipe muito segura. Não só fomos a melhor equipe, como somos a melhor equipe. Os jogadores estão de parabéns. Temos um objetivo que é chegar à final, faltam dois jogos.”

Enquanto isso, a equipe ganhava corpo no Brasileiro, acumulando resultados significantes, como o 6 a 1 contra o Goiás, o 3 a 1 sobre o Grêmio, o 4 a 1 no clássico contra o Vasco e, por último, a vitória por 3 a 0 sobre o Ceará fora de casa, na partida que colocou o time na ponta da tabela.

Em comum, todos esses jogos mostraram uma grande força ofensiva no rubro-negro, algo bem marcante na gestão de Jorge Jesus até aqui. Nas 13 partidas sob o comando do português, o Flamengo já balançou as redes 27 vezes, muitos deles graças a Bruno Henrique e Gabigol, dupla de ataque que acumula entrosamento desde os tempos de Santos, onde atuaram juntos em 2018 e que agora parecem viver seus melhores momentos, sendo os atuais artilheiro e vice do Brasileirão até aqui.