FAB faz buscas em imóvel de militar preso com 39 kg de cocaína em avião da comitiva presidencial

Manoel Silva Rodrigues viajava em comitiva de apoio ao presidente Jair Bolsonaro e foi detido na Espanha. Sargento morava em Taguatinga, no DF.

Por Marília Marques, G1 DF

02/07/2019 14h32 Atualizado há 15 horas

Um dos aviões da Embraer que transportam autoridades e ajudam em comitivas — Foto: AGÊNCIA FAB/SGT JOHNSON

Um dos aviões da Embraer que transportam autoridades e ajudam em comitivas — Foto: AGÊNCIA FAB/SGT JOHNSON

A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou buscas em um imóvel do segundo sargento da Aeronáutica Manoel Silva Rodrigues, no Distrito Federal. O militar fazia parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro em viagem ao Japão e foi preso no aeroporto da Espanha por transportar 39 quilos de cocaína na bagagem (veja detalhes abaixo).

A diligências no apartamento ocorreram nessa segunda-feira (1º) e foram autorizadas pela Justiça Militar. O resultado da operação está sob sigilo e, por isso, a instituição não informou se algo foi apreendido.

Manoel Silva Rodrigues tinha direito a um imóvel funcional, na Asa Sul, no Plano Piloto. Mas o sargento não morava no apartamento cedido pelo governo. Ele vivia em Taguatinga, a 30 quilômetros do centro da capital.

O militar foi detido em 25 de junho, na cidade de Sevilha, ao desembarcar do avião da FAB. Ele fazia parte da comitiva do que acompanhou o presidente Bolsonaro à reunião da cúpula de líderes do G20, grupo que reúne as 20 principais economias do mundo

Além do inquérito policial militar aberto para investigar o suposto tráfico de drogas, a FAB também abriu um processo administrativo para apurar possíveis irregularidades no uso do imóvel funcional. No entanto, a Força Aérea também não deu detalhes sobre esse processo.

Sargento da Aeronáutica brasileira Manoel Silva Rodrigues, que foi detido em 25 de junho no aeroporto de Sevilha, na Espanha — Foto: Redes sociais/ Reprodução TV Globo

Sargento da Aeronáutica brasileira Manoel Silva Rodrigues, que foi detido em 25 de junho no aeroporto de Sevilha, na Espanha — Foto: Redes sociais/ Reprodução TV Globo

Segundo testemunhas, Rodrigues vivia em um apartamento comprado por ele em 2017, na região de Taguatinga. O imóvel é avaliado em R$ 180 mil.

O militar também tem uma moto e um carro registrados em nome dele.

Trajetória

O sargento Rodrigues teve a vida investigada pela Inteligência brasileira antes de entrar para o Grupo de Transporte Especial da FAB, em 2010.

Ele se mudou para Brasília em 1998. Em 2000, começou a trajetória na Aeronáutica. Quatro anos depois, Rodrigues prestou o concurso da FAB para taifeiro – profissional dedicado ao serviço de copa, mesa e camarotes oficiais. O militar foi aprovado em 6º lugar.

No ano seguinte, em 2005, fez o curso de formação de comissário de bordo. Agora, ele aguarda o julgamento do processo na Justiça em uma penitenciária espanhola.

A prisão

A prisão do segundo-sargento ocorreu quando o avião da FAB pousou às 14h (horário local) no aeroporto da capital da região da Andaluzia, de acordo com o jornal espanhol “El País”.

A aeronave onde estava Manoel Silva Rodrigues, que atua como comissário de bordo em voos da Força Aérea, costuma fazer a rota presidencial antes do avião do presidente em viagens longas, e, por isso, fica à disposição de Jair Bolsonaro para quando ele pousar no destino.

A cocaína encontrada com o militar estava dividida em 37 pacotes de mais de um quilo. Fontes policiais disseram ao jornal espanhol “El País” que a droga não estava sequer camuflada entre roupas. “Em sua mala, havia apenas drogas”, afirmou uma porta-voz da força policial em Sevilha.

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *