Com denúncia rejeitada, governo quer aprovar reforma da Previdência ainda neste ano, diz Padilha

âmara rejeitou nesta quarta enviar ao STF a denúncia contra Temer, Padilha e Moreira. Reforma foi enviada em 2016 e já foi aprovada por uma comissão. Falta votação no plenário.

“É um grande teste saber se Temer terá condições de retomar reformas”, diz Cantanhêde

Texto a ser votado

Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), a reforma da Previdência precisa ser aprovada em dois turnos na Câmara e no Senado.

Nas duas Casas a proposta precisará, ainda, contar com o apoio de pelo menos três quintos dos parlamentares: 308 dos 513 deputados e 49 dos 81 senadores.

O texto a ser analisado no plenário é o relatório do deputado Arthur Maia (PPS-BA), aprovado em maio por uma comissão especial.

O G1 apurou, porém, que tanto a área política quanto a equipe econômica do governo já discutem a possibilidade de enxugar a proposta, dependendo do que a base aliada no Congresso estiver disposta a aprovar.

Entre os principais pontos do relatório de Arthur Maia estão a idade mínima de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres para aposentadoria pelo INSS, além da exigência de pelo menos 25 anos de tempo de contribuição. A proposta cria ainda uma regra de transição para quem já está no mercado de trabalho.

Câmara rejeita segunda denúncia contra Michel Temer

Câmara rejeita segunda denúncia contra Michel Temer

Próximos passos

O G1 apurou com auxiliares do presidente que o governo quer, a partir de agora, concentrar a atenção em medidas capazes de acelerar a recuperação da economia. O Planalto também buscará associar a imagem de Temer à geração de empregos.

Neste contexto, estão no radar propostas como a simplificação tributária, ainda em discussão, e a reforma da Previdência

Nos próximos dias, o chefe da Casa Civil analisará junto com Temer e deputados aliados o resultado da votação da segunda denúncia, a fim de dimensionar o tamanho da base de apoio na Câmara.

O objetivo é enteder por que os votos a favor do governo caíram de 263 votos na primeira denúncia para 251 na votação desta quarta. Por isso já estão sendo discutidas eventuais punições a infiéis.