Agentes desconfiam de preso que simulou passar mal e evitam que drogas e celulares entrem na cadeia de Rio Verde

Enquanto preso era atendido por equipe médica, outro homem estava do lado de fora do presídio com mochilas que seriam jogadas dentro da unidade.

Por Paula Resende, G1 GO

Drogas, celulares e carregadores são aprendidos por agentes prisionais  (Foto: DGAP/ Divulgação) Drogas, celulares e carregadores são aprendidos por agentes prisionais  (Foto: DGAP/ Divulgação)

Drogas, celulares e carregadores são aprendidos por agentes prisionais (Foto: DGAP/ Divulgação)

Agentes prisionais desconfiaram, neste domingo (4), de um preso que dizia estar passando mal no presídio de Rio Verde, no sudoeste goiano. Durante o atendimento médico , os servidores foram para o lado de fora da cadeia e encontraram um homem com três mochilas que, segundo eles, estava com drogas e 34 celulares que seriam entregues aos presos.

O caso ocorreu por volta das 8h30. De acordo com a DGAP, durante o atendimento ao preso, parte da equipe foi para o lado de fora da cadeia e viu um homem em atitude suspeita. Eles ordenaram que a pessoa parasse, mas, conforme a diretoria, o suspeito sacou uma arma e disparou contra os servidores.

Os agentes correram atrás do autor dos tiros, mas ele entrou numa mata e não foi localizado. Apesar de ele ter fugido, os servidores apreenderam as três mochilas que estavam com ele.

Dentro das bolsas havia três quilos de maconha, 500 gramas de crack, quatro litros de cachaça, um litro de álcool, 34 celulares, 31 carregadores e 33 fones de ouvido. Os produtos foram encaminhados à delegacia de Rio Verde.

Veja outras notícias da região no G1 Goiás.